Biografias

Thiry ou Pierre Thiry

Allan Kardec escreveu essa carta para o Sr. Thiry após um encontro que tiveram na noite anterior. Nela, ele expõe algumas reflexões realizadas a partir da conversa que teve com o Sr. Thiry, sobre as críticas que vinha recebendo no modo como conduzia o seu trabalho no processo de construção e propagação do Espiritismo. No final da carta, Kardec demonstra um grande apreço pelo Sr. Thiry em sua despedida: “Seu todo devotado e afetuoso, Allan Kardec.”

Não conseguimos encontrar muitas referências do Sr. Thiry. No meio espírita, localizamos algumas citações na “Revista Espírita”, indicando que ele era membro da Sociedade Espírita de Paris. Em janeiro de 1860, seu nome aparece num pedido de prece pelos espíritos sofredores: “O Sr. Thiry observa que muitos Espíritos sofredores pedem o auxílio da prece, para lhes abrandar as penas, mas, como podem ser perdidos de vista, propõe que em cada sessão o Presidente lhes lembre os nomes. (Adotado).” (1, 2)

No mesmo ano, Kardec nomeia o Sr. Thiry e mais alguns membros da Sociedade Espíritade Paris para compor e gerir uma “Caixa do Espiritismo”, cujos fundos eram provenientes de doações recebidas:

“O Sr. Allan Kardec transmite à Sociedade o seguinte, a respeito do donativo feito:“Se a doadora, no que lhe concerne, não reclama contas do emprego dos fundos, não devo, para minha própria satisfação, permitir que seu emprego não seja submetido a um controle. Essa soma formará o primeiro fundo de uma Caixa Especial, que nada de comum terá com meus negócios pessoais, e que será objeto de uma contabilidade distinta, sob o nome de Caixa do Espiritismo. Esta caixa será aumentada posteriormente pelos fundos que chegarem de outras fontes, e será destinada exclusivamente às necessidades da Doutrina e ao desenvolvimento dos estudos espíritas. Um de meus primeiros cuidados será a criação de uma biblioteca especial, e de assim prover, como disse, ao que falta materialmente à Sociedade, para a regularidade de seus trabalhos. Pedi a vários colegas que aceitassem o controle da caixa e constatassem, em datas que serão ulteriormente fixadas, o útil emprego dos fundos.“Essa comissão está composta pelos Srs. Solichon, Thiry, Levent, Mialhe, Krafzoff e Sra. Parisse.”(3)

Ele aparece novamente na Revista Espírita em 1861, numa comunicação mediúnica que trata sobre “os animais médiuns”:

“Diz o Sr. Thiry magnetizou seu cão. Que aconteceu? Ele o matou, porque esse infeliz animal depois caiu numa espécie de atonia, de langor, em consequência da magnetização. Com efeito, inundando-o de um fluido tirado de uma essência superior à essência especial de sua natureza, esmagou-o e sobre ele agiu, embora mais lentamente, à maneira de um raio. Assim, como não há nenhuma identificação possível entre o nosso perispírito e o envoltório fluídico dos animais propriamente ditos, nós os esmagaríamos instantaneamente se os mediunizássemos.” (1, 4)

Com base em nossas pesquisas, supomos que o Sr. Thiry seria Pierre Thiryaîné (aîné– Filho mais velho de M. Thiry, serralheiro) (1, 5, 6), editor do livro Le Spiritisme ou Spiritualisme à Metz(1861) e colaborador do Journal du Magnétisme (1850) (7, 8). Não é possível afirmar com certeza a identidade do Sr. Thiry, mas alguns fatores apontam na direção de nossa hipótese: a proximidade com a temática do magnetismo (no jornal, no livro e no artigo na Revista Espírita sobre a magnetização de seu cachorro) e o período de publicação desses textos ser concomitante ao do renovado interesse nos fenômenos mediúnicos e o desenvolvimento do Espiritismo. Além disto, em diversos artigos publicados na Revista Espírita, Kardec demonstra conhecer o movimento espírita de Metz e as atividades desenvolvidas pelos espíritas da cidade. (9, 10)

Ao que tudo indica, o Sr. Thiry era de Metz, uma cidade no nordeste da França e trabalhava como serralheiro, profissão que herdou de seu pai, desenvolvendo junto com o seu irmão Christophe-Adrien a fechadura Thiry, que recebeu em 1845 a patente de invenção:

“M. Thiry fils , qui a profité des travaux de son père, et qui marche avec succès sur ses traces, a exposé une serrure remarquable par un mécanisme simple et très ingénieux , qui remédie d’une manière efficace à un défaut inhérent aux serrures à leviers , défaut auquel on avait tenté vainement de parer jusqu’ici. Il s’agissait d’empêcher qu’on découvrît par l’effet de la pression du pêne sur les leviers , la position des entailles qui donnent l’ouverture de la serrure M. Thiry a résolu ce problème important avec un rare bonheur ; c’est un pas qu’il a fait faire à son art, et qui annonce un homme profondément versé dans la théorie des serrures de sûreté.”

O filho de M. Thiry, que aproveitou o trabalho de seu pai e que seguiu seus passos com sucesso, exibiu uma fechadura notável por um mecanismo simples e muito engenhoso que efetivamente corrige um defeito inerente a fechaduras de alavancas, defeito que até agora tentávamos resolver. Isso evitou que o efeito da pressão do ferrolho nas alavancas descobrisse a posição dos entalhes que abrem a fechadura. O Sr. Thiry resolveu esse importante problema com rara felicidade. É um passo que ele deu em sua arte e que anuncia um homem profundamente versado na teoria das travas de segurança”. (5, 11, 12)

Referências

(1) Bastos, Carlos Seth. https://www.facebook.com/HistoriaDoEspiritismo/posts/782006145896503

(2)Kardec, Allan. Boletim. Revista Espírita - Jornal de Estudos Psicológicos. Paris: 1860-1. In: https://kardecpedia.com/roteiro-de-estudos/894/revista-espirita-jornal-de-estudos-psicologicos-1860/4667/janeiro/boletim

(3) Kardec, Allan. Boletim. Revista Espírita - Jornal de Estudos Psicológicos. Paris: 1860-3. In: https://kardecpedia.com/roteiro-de-estudos/894/revista-espirita-jornal-de-estudos-psicologicos-1860/4685/marco/boletim.

(4) Revista Espírita - Jornal de estudos psicológicos. Paris: 1861 (8). Dissertações e ensinos espíritas. Os animais médiuns (Sociedade espírita de Paris. Médium: Sr. D'Ambel). In: https://kardecpedia.com/roteiro-de-estudos/895/revista-espirita-jornal-de-estudos-psicologicos-1861/5040/agosto/dissertacoes-e-ensinos-espiritas/os-animais-mediuns-sociedade-espirita-de-paris-medium-sr-dambel

(5) Expositions des Produits de L’Industrie ed de L’Horticulture di Département de La Moselle. Metz: 1837. p. 14. https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k30442708/f17.item.r=serrure%20Thiry

(6)https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k6282355h/f170.image.r=Madame%20veuve%20Thiry?rk=107296;4#

(7)P. ThiryAîné. Le SpiritismeouSpiritualisme a Metz. Communications Foutre-Tombe. Paris-Metz: 1861. P. 1-2.  http://iapsop.com/ssoc/1861__thiry___le_spiritisme_ou_spiritualisme_a_metz.pdf

(8) P. THIRY aîné. Journal du Magnétisme. Rédigê par une Société de Magnétiseurs et de Médecins.Paris: 1850. p. 126-133. http://iapsop.com/archive/materials/journal_du_magnetisme/journal_du_magnetisme_v9_1850.pdf

(9)https://kardecpedia.com/roteiro-de-estudos/895/revista-espirita-jornal-de-estudos-psicologicos-1861/5100/novembro/bibliografia

(10) https://kardecpedia.com/roteiro-de-estudos/901/revista-espirita-jornal-de-estudos-psicologicos-1867/6139/agosto/variedades/a-liga-do-ensino

(11) https://kardecpedia.com/roteiro-de-estudos/897/revista-espirita-jornal-de-estudos-psicologicos-1863/5485/setembro/sermoes-sobre-o-espiritismo

 Catalogue desbrevets d'invention. Ministère du commerce. Paris: 1844. p. 323

https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k6354055h/f335.image.r=pierre%20thiry%20serrure?rk=42918;4#

(12) Bulletin du Minisère de L’Agriculture et du Commerce. Paris: 1845 (10) p. 331

https://books.google.com.br/books?id=lGFAAAAAcAAJ&printsec=frontcover&hl=pt-BR&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false