Biografias

Senhor Pâtier

A carta escrita em 23 de abril de 1857 (cinco dias após o lançamento de O Livro dos Espíritos, ocorrido em 18 de abril) ao Sr. Pâtier expressa o reconhecimento de Allan Kardec a esse personagem que foi de grande importância para o seu convencimento aparticipar pela primeira vez de uma reunião onde pôde presenciar os fenômenos das mesas girantes e dar início aos seus estudos sobre os fenômenos mediúnicos.

O próprio Allan Kardec destaca a influência decisiva do Sr. Pâtier quando expõe “A minha primeira iniciação no Espiritismo”em seu livro Obras Póstumas. Após ter recusado dois convites anteriores para assistir a reuniões de “mesas girantes”:

“Passado algum tempo, pelo mês de maio de 1855, fui à casa da sonâmbula Sra. Roger, em companhia do Sr. Fortier, seu magnetizador. Lá encontrei o Sr. Pâtier e a Sra.Plainemaison, que daqueles fenômenos me falaram no mesmo sentido em que o Sr. Carlotti se pronunciara, mas em tom muito diverso. O Sr. Pâtier era funcionário público, já de certa idade, muito instruído, de caráter grave, frio e calmo; sua linguagem pausada, isenta de todo entusiasmo, produziu em mim viva impressão e, quando me convidou aassistir às experiências que se realizavam em casa da Sra.Plainemaison, à rua Grange-Batelière, 18, aceitei imediatamente. Foi aí que, pela primeira vez, presenciei o fenômeno das mesas que giravam, saltavam e corriam em condições tais que não deixavam lugar para qualquer dúvida. Assisti então a alguns ensaios, muito imperfeitos, de escrita mediúnica numa ardósia, com o auxílio de uma cesta. Minhas idéias estavam longe de precisar-se, mas havia ali um fato que necessariamente decorria de uma causa. Eu entrevia, naquelas aparentes futilidades, no passatempo quefaziam daqueles fenômenos, qualquer coisa de sério, como que a revelação de uma nova lei, que tomei a mim estudara fundo.” (1)

Referências

(1) Kardec, Allan. Obras Póstumas. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, 1993, p. 266-7